quinta-feira, outubro 07, 2004

O tempo...

Vivemos num tempo dos homens... Nós definimos, nós delimitámos e nós aprisionámos o tempo.

Medimos a qualidade da nossa vida pelo tempo que dedicamos a determinada tarefa. Catalogamos as nossas relações pelo tempo que elas duram (do tipo: 'Eu gostava muito dele(a), pois estivemos juntos três anos' ??!!).. Como se a amizade (..o amor...) se pudesse confinar a um período de tempo... Há pessoas que vivem toda uma vida com outra, e no final pensam 'afinal nunca o conheci'. As pessoas não são seres estanques, o conhecimento que temos do outro não se esgota num determinado período de tempo padrão. As pessoas são sistemas, estão sempre a evoluir... Quanto tempo é muito: um mês, um ano, dois, três?...

Por isso, quando se trata de avaliar um AMOR, eu costumo pensar que meço o tempo não num tempo dos homens, mas num tempo de Deus... Por vezes descobre-se tanto em tão pouco tempo.. Em poucos meses... Quando chegar o meu verdadeiro amor, eu saberei logo no primeiro instante se é com aquela pessoa que quero passar o resto da vida... (Sempre fui utópica)
Comments-[ comments.]