quarta-feira, dezembro 22, 2004

MONÓLOGO A DOIS

Ela:
Meu amor, é forçoso dizer-te que eu já sabia
que nos iríamos encontrar...
Era inevitável ...
Meu amor, é forçoso dizer-te que eu já sabia
que me ias partir o coração.
Era inevitável...
Meu amor, não se ama em simultâneo...
É inevitável...

Ele:
Olha, quero que saibas que eu pretendia
afastar-me e não aproximar-me ainda mais
Era evitável...
Olha, quero que saibas que eu pretendia
não pisar o que estava caído no chão
Era evitável...
Desculpa.
Sou evitável...

9 Comments:

Blogger Marta said...

Obrigada pelas tuas palavras no meu blog.
Gostei do monólogo, mas falta-lhe a esperança, eu acredito que pode ser diferente :). Um beijo e Bom Natal

2:08 da tarde  
Blogger Sandro said...

Gostei muito do teu blog...
Andei a passear por ele, e gosto do que escreves!
Neste monólogo, impunha-se um diálogo... Evitava-se o inevitável...
Beijo

4:48 da tarde  
Blogger Paracleto said...

Eu continuo perguntando, para quando um livro nas bancas.
Deverias pensar nisso.

Boas Festas

8:01 da tarde  
Blogger Hipatia said...

Apetecia-me dizer-te que nunca somos evitáveis para quem nos merece... Sabemos, no entanto, que não é bem assim. Sabemos também que todos cometemos erros e o mínimo que é possível desejar é saber emendar esses erros sem uma sensação claustrofóbica de inevitabilidade :)

9:22 da tarde  
Blogger eLP said...

tudo é inevitável, especialmente aquando do após...

obrigado pela tua visita,
gostei do teu espaço

12:20 da manhã  
Blogger Guida said...

Inevitalvemente bonita, a tua poesia :)

8:55 da manhã  
Blogger Caliope said...

Marta:
O facto de tu acreditares torna possível a esperança. É tempo de um novo começo. Mas preciso de esgotar este tempo que me percorre.
Obrigado pelos votos de Bom Natal. Retribuo.
Beijinhos para ti
___________________

Sandro:
Infelizmente, o diálogo não é imposto. As palavras nada dizem, quando os silêncios significam tudo.
E beijinhos
___________________

Paracleto:
Sim, eu vou pensando. E tu?
Não tenho problemas de auto-estima.
Dispenso os elogios(os teus).

Boas festas com o mesmo sentimento com que mas desejas
___________________

Hipatia:
Mais do que o perdão
dos outros.
O meu perdão
pelo que sou.
Por isso sigo o coração.
Erro, mas aprendo.
E aceito-me.
Preciso de tempo

Beijinhos. Muitos
________________

el P
Eu é que te agradeço. (Eu gostei do passeio).
E ainda bem que me relembras que tenho espaço.
Ás vezes pareço vazia ;-)

E sim, tudo é inevitável.
Não somos nós que escolhemos. Ou somos?
Beijo
______________________

Guida:
Obrigada.
A poesia é inevitável. Assim como o amor

Beijinhos para ti.
Vou visitar-te ;-)

12:30 da tarde  
Blogger Ardente_Mente said...

;)

2:05 da tarde  
Blogger Caliope said...

Ardente_mente:
~..~
(Um sorriso tímido para ti)

2:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Comments-[ comments.]