quinta-feira, fevereiro 03, 2005

PSIQUE E EROS

Bem, lá vou ter de encher o blog de posts para ver se empurro o famigerado questionário de baixo para os arquivos - obrigadinha Hipatia (já escrevi aos administradores do blogger para criarem tipo uns ficheiros secretos, para onde tenciono lançar o post anterior. Sim, estou confiante que o meu poder de persuasão surtirá efeito, o mais tardar, lá para o final da semana). Mas enquanto eles não atendem ao meu pedido lá terei de irradiar radioactivamente a minha massa cinzenta, de forma a provocar-lhe alguma actividade cerebral.

Hum........ Porque será que a falta de inspiração nos atinge nos momentos de maior aflição?

(Até eu própria me espanto com a minha desenvolvida capacidade de síntese ).

Os meus pensamentos mais profundos neste momento alternam entre: "será que estas calças de ganga me fazem o rabo maior" e "quantas farturas é que consigo comer seguidas?"...

Aproveito esta ocasião para me relembrar de uma das minhas histórias da mitologia preferidas.


PSIQUE, segundo o culto religioso grego, era a "alma"


Na mitologia grega é representada como uma princesa tão bela que as pessoas a adoravam em vez de AFRODITE. Para acabar com este sacrilégio, esta pede a seu filho EROS "amor"
que use suas flechas encantadas e faça Psique apaixonar-se pela criatura mais desprezível que conseguisse encontrar. Mas quando Eros viu a sua vítima, distrai-se e fere-se com uma de suas próprias flechas. Vítima do encantamento em que enredava deuses e mortais, o deus feriu-se de amor. Apaixonado, esqueceu a ordem da mãe. Ao mesmo tempo que oculta seu sentimento, torna Psique inatingível aos mortais terrenos.Embora todos os homens a admirem, nenhum por ela se apaixona.

Até que um dia tornam-se um dia amantes, embora Eros proiba Psique de o ver. Quando ela não resite à tentação de o contemplar, ele foge com o medo da reacção de afrodite por o segredo ter sido desvendado.


Todavia, o próprio Zeus tem pena dos amantes e dá a beber a ambrosia a Psique, que lhe confere a imortalidade. Impotente tornara-se o ciúme de Afrodite.

Psique agora era imortal e estava unida para sempre a Eros.
Nada mais podia separá-los.
Dessa união nasceu a Volúpia.







5 Comments:

Blogger elisa said...

Não sei bem como vim aqui parar mas gostei!E descobri quem era Caliope, a história de Psique e muitas poesias bonitas:)Voltarei!Beijinhos

4:01 da tarde  
Blogger Caliope said...

Elisa:
Beijinho...
Volta sempre, que a minha "casa" é um espaço aberto
:-) Beijinhos

4:25 da tarde  
Blogger corpo visível said...

Também fico encantada com estas histórias. :)
Tenho um fraquinho pelas metamorfoses de Zeus.

6:56 da tarde  
Blogger Hipatia said...

Conta a lenda que dormia
Uma Princesa encantada
A quem só despertaria
Um Infante, que viria
De além do muro da estrada.

Ele tinha que, tentado,
Vencer o mal e o bem,
Antes que, já libertado,
Deixasse o caminho errado
Por o que à Princesa vem.

A Princesa Adormecida,
Se espera, dormindo espera,
Sonha em morte a sua vida,
E orna-lhe a fronte esquecida,
Verde, uma grinalda de hera.

Longe o Infante, esforçado,
Sem saber que intuito tem,
Rompe o caminho fadado,
Ele dela é ignorado,
Ela para ele é ninguém.

Mas cada um cumpre o Destino
Ela dormindo encantada,
Ele buscando-a sem tino
Pelo processo divino
Que faz existir a estrada.

E, se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada fora,
E falso, ele vem seguro,
E vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora,

E, inda tonto do que houvera,
À cabeça, em maresia,
Ergue a mão, e encontra hera,
E vê que ele mesmo era
A Princesa que dormia.


Fernando Pessoa - Eros e Psique

:*

12:02 da manhã  
Blogger Caliope said...

Corpo Visível:
Partilhamos um gosto comum, pois então :-)
Mitologia é um dos meus interesses... Mitologia, clássica, celta, nórdica... lendas e afins :-)
Beijinhos e ainda que voltaste ****
_________
Hipatia:
Tenho um soneto por acabar sobre Psique e Eros... (Que tem ficado por acabar... destino?) Claro que nada comparável a Fernando Pessoa, mas muito meu, porém...
Obrigada por essa prenda :-)
Beijinhos.... Muitos
Beijinhos

2:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Comments-[ comments.]